quarta-feira, 9 de março de 2016

AS APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA DO CARMO DE GARABANDAL

AS APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA DO CARMO DE GARABANDAL



San Sebástian de Garabandal é uma pequena povoação situada numa prega das montanhas cantábricas - a imensa cordilheira que percorre o norte da Espanha, próxima ao mar Cantábrico, do qual toma o nome.

Em 1961, quando tudo começou, habitavam cerca de  300 habitantes, distribuídos por umas 80 casas de pedra.Havia duas escolas municipais, uma para meninos, outra para meninas,e davam às crianças algumas noções mais rudimentares, suficientes para o tipo de vida que teriam. Os meninos, uma vez crescidos, iam trabalhar no pastoreio do gado ou na lavoura, ou então nas minas de carvão. As meninas, na idade aproximada de 14 anos, quando terminavam o período escolar, iam servir de guias aos burricos que transportavam o feno, o estrume e as colheitas. Cada dia elas galgavam as altas montanhas, em caminhadas que lhes tomavam algumas horas, para levar a refeição aos pais e irmãos.

 

Quase totalmente isolada, o seu único canal de ligação com o resto do mundo era então uma trilha pedregosa e cheia de grandes curvas, que descia até Cosio, sete quilómetros de distância, sede da paróquia. Dali, seguindo-se em direçcão ao norte, podia-se alcançar Torrelavega, Bilbau e, finalmente, vencidos uns 90 quilómetros, chegava-se à cidade portuária de Santander, no Golfo de Gasconha, capital da província e residência do bispo diocesano.

Nesse ambiente agreste, as famílias viviam, e vivem ainda hoje do produto das fincas, as minúsculas lavouras cultivadas nas encostas, mas principalmente do pastoreio do gado. De manhã, é comum ver-se alguém da família sair de casa cedo, tangendo as suas vacas escuras e pacatas para as regiões mais altas, onde se encontram as áreas de pasto. Os que ficam, além das tarefas domésticas, dedicam-se à colheita do feno para a alimentação dos animais no inverno.

Era uma vida pobre e austera, fortemente marcada pelas estações, pelo sol e pela neve. Nenhum dos confortos que hoje se encontram na maioria dos agrupamentos humanos, ali se conhece. As casas não têm água canalizada, e o único aquecimento nos duros invernos é o fogão. Supermercados, lojas, cinema, televisão, telefone, automóvel, simplesmente não existem. Não há um único motor em toda a vila. Energia eléctrica, só por algumas horas da noite. Toda a comida, incluíndo o pão, vem de Cosio, em lombo de burro. Era assim a vida desta aldeia, no ano de 1961.


A religiosidade dos habitantes de Garabandal


Apesar de ser uma vila pobre, a religiosidade da sua população era notável. Diariamente, pelo anoitecer, uma senhora percorria as ruazinhas de pedra e terra, tocando uma sineta, lembrando a todos o dever de rezarem pelos falecidos. Pouco depois, vestidas de preto, lenço ou mantilha na cabeça, as mulheres dirigiam-se à Igreja, onde rezavam o terço e as ladainhas. Ou então a via-sacra. À frente, correndo e brincando, íam as crianças, e atrás, caminhando vagarosamente, alguns homens. Nos fins de semana, sempre que possível, o padre Valentim Marichalar, pároco de Cosio, enfrentava a cavalo a rampa de 600 metros para celebrar a missa e ouvir algumas confissões. (Menos afortunado era o médico que, na falta de um cavalo, subia a pé, atendendo aos raros chamados, pois aqueles montanheses, endurecidos pela rude vida que levavam, raramente adoeciam).

A religiosidade deste povo era assim reconhecida por um velho padre de Covadonga, que noutros tempos, na ausência do pároco, tinha subido várias vezes até a vila, para dirigir as orações. "Eram muito devotos - conta ele. Rezavam o terço diariamente. Juntavam-se na igreja à noite, e ninguém faltava, homens, mulheres e crianças. Quando me contaram que ali aparecia a Virgem, eu disse para mim mesmo: Se não fosse ali, onde haveria de ser?".

Eis, em rápidas pinceladas, o cenário onde, dentro em breve, começarão a desenrolar-se acontecimentos que ultrapassam a imaginação humana. Acontecimentos tão insólitos que, de repente, virão arrancar Garabandal da sua apagada vida de cada dia, para projectá-la nas páginas dos jornais do mundo inteiro e atraindo para lá o bulício e a inquietação de milhares de romeiros. O silêncio de suas pacatas ruelas, quebrado apenas pelos cincerros das vacas, ficará bem logo povoado pelos comentários de multidões de visitantes e de frases em francês, inglês, português, italiano, alemão...

E o resultado de tudo isto é a história impressionantemente doce que tentaremos reconstruir aqui, uma espécie de conto de fadas para o nosso tempo, o que levou o papa Paulo VI a exclamar: "Garabandal é a mais bela história da humanidade, depois do nascimento de Jesus".


 A APARIÇÃO DO ANJO

"Estávamos justamente a comer  as maçãs - conta ainda Conchita - quando ouvimos um ruído como de trovão, e todas a um tempo exclamamos:

"Parece que troveja."


Deve ter sido um trovejar um pouco estranho. Embora acostumadas a ouvir esses barulhos em pleno silêncio da natureza, naquele dia pareceu-lhes diferente. Tanto mais que, ao olharem na direçcão da Peña Sagra - um imponente maciço de 2.042 metros, que fecha por um lado o horizonte de Garabandal, e que muitas vezes aparece coroado de escuras e pesadas nuvens, de onde geralmente vêm as trovoadas - nada viram de especial. Que teria sido?

O ardente sol de verão já se inclinava sobre o horizonte, e todos os relógios da Espanha estavam prestes a dar as oito e meia.Nas quatro pequenas pecadoras, que acabavam de vir de uma aventura nada santa, aquele misterioso trovão soava como uma voz de Deus.

"Que desgraça!" - exclamou Conchita,  " Agora que comemos as maçãs roubadas, o demônio deve estar contente."

"E o nosso anjo da guarda, bem triste." - acrescentou outra.

Conchita teve assim uma ideia:

"Para consolar ao anjo, vamos atirar pedras no diabo."

E na sua ingenuidade de pequenas montanhesas, juntaram umas pedras e começaram a dispará-las com toda a força para a esquerda, onde achavam que devia estar o diabo.

 
A Visão do Anjo
Cansadas de atirar pedras "e com a consciência mais tranquila, resolvemos jogar cinco-marias". Essa tranquilidade, porém, não durou muito, diante de algo estranho e terrificante que logo as dominou. É a própria Conchita que relata em seu Diário, iniciado em setembro de 1962: "De repente apareceu-me uma figura muito bonita, envolta numa luminosidade que em nada me feria a vista". A sua cabeça caiu para trás, com os olhos fixos nas alturas. "Jacinta, Loli e Mari-Cruz, ao verem-me nesse estado, pensaram que me tinha dado um ataque, porque eu, de mãos juntas, repetia: 'Ai! Ai! Ai!' Quando elas, apavoradas, iam chamar minha mãe, aconteceu o mesmo com elas".

Levantando os olhos na direçcão indicada por Conchita, exclamaram juntas:

"O anjo!"

Houve um curto silêncio, mergulhadas todas na mesma contemplação, e o anjo desapareceu.

A visão durou meia hora sem dizer uma palavra. No entanto, era com esta presença silenciosa que começava a história "mais maravilhosa da humanidade, depois do nascimento de Jesus", citação do Papa Paulo VI.

O relato de Conchita vem completado pelo de João Álvarez Seco, comandante da guarda civil: "Umas meninas" - conta ele , "que também brincavam por perto, ao verem as quatro naquela estranha posição, puseram-se a jogar-lhes pedras; então o anjo  afastou-se uns 50 metros acima da mesma calleja. Uma vez ali, enquanto durava a sua posição estática de joelhos, quis passar por entre elas um morador da vila, que vinha do lado de cima, do monte, com um favo de mel na mão; vendo que não se arredavam para o deixar passar, e sem se aperceber do que estava acontecendo, ficou aborrecido com a 'pouca atenção daquelas meninas". Depois de se cruzar por elas, virou-se para trás e fitou-as mais atentamente. E grande foi a sua surpresa ao verificar que continuavam na mesma posição. Conta ele que, de noite, quase não conseguiu dormir, pensando naquilo tudo que lhe parecia tão estranho.

Na verdade o Anjo iria preparar os videntes para o encontro com a Virgem Maria, que iria passar-lhes as mensagens ao mundo, bem como profecias sobre o Final dos Tempos.

 




A aparição da Virgem Maria, 2 de Julho de 1961.

 
Conforme o calendário litúrgico de então, comemorava-se nesse dia a festa da visita de Maria à sua prima Isabel, quando – segundo o evangelho de Lucas – ela " dirigiu-se às pressas para as montanhas de Judá" (1,39). Eis que também agora ela põe-se a caminho das montanhas, desta vez para visitar  os seus filhos, num cume perdido da cordilheira cantábrica. E ali, naquele povoado de pastores irá estabelecer a sua morada por bem quatro anos; ali irá viver a sua "segunda vida nesta terra", como dirá o papa Paulo VI. Com efeito, serão mais de duas mil aparições e manifestações, para demonstrar sua presença real.

Apresenta-se sob o título do Carmelo, confirmando assim a devoção que consagra o mês de julho a Nossa Senhora do Carmo, cuja festa se comemora no dia 16.

Nesse Domingo, depois do terço, as meninas desceram em direçcão a Cosio para receber os irmãos de Conchita, que chegavam de viagem. Mas no meio do caminho tiveram de voltar, pois o público que afluía à vila reconheceu-as pelas fotografias e não as deixaram ir mais adiante.

Para sorte delas, vinha um Land Rover, um dos poucos carros em condições de enfrentar aquelas rampas, e  convidaram-nas a dar boleia. Encontraram as ruas abarrotadas de forasteiros, entre os quais, onze padres, vários médicos e um abade. "Eram aproximadamente seis da tarde quando iniciamos a caminhada em direçcão à calleja, seguidas por todos. Mal  começamos a rezar o terço, apareceu a Santa Virgem, ladeada por dois anjos. Um era São Miguel. O outro não conhecemos".

São Miguel. Ouvimos aqui, pela primeira vez, o nome do misterioso anjo que, ao longo dos 14 dias anteriores, conversava com as meninas. E hoje ele voltava escoltando a sua Rainha.

 

"Ambos vestiam da mesma maneira e pareciam gêmeos. Ao lado do anjo da direita, à altura da Virgem, vimos um olho de tamanho grande; parecia o olho da Deus".

"As pessoas" – conta ainda ," rodeavam-nos para abraçar e perguntavam o que ela tinha dito – ao menos algumas, porque a maioria não acreditava no que falávamos. As que acreditavam diziam que era como uma mãe que não vê as filhas já muito tempo. E então as filhas contam-lhe tudo... Em seguida  levaram-nos à sacristia, onde um padre chamado Francisco Odriozola nos interrogou individualmente".
 
E como era a Senhora de luz que lhes aparecia? – todos queriam saber. E elas tentavam explicar da maneira que podiam. O  pobre dicionário de rudes expressões, porém não era muito próprio para expressar coisas capazes de pôr em apuros até as inteligências mais iluminadas. Limitavam-se pois a traçar-lhe o retrato:

 

"Ela vem com um vestido branco, manto azul e uma coroa de pequenas estrelas douradas. Não se  vêem os pés. As mãos são afiladas, e no pulso direito usa um escapulário de cor marrom. O seu cabelo é comprido, castanho-escuro, ondulado e com um risco no meio. O rosto de forma oval, o nariz alongado e fino. A boca muito bonita, com lábios cheios. O rosto é de uma tonalidade levemente morena, porém mais clara que a do anjo. A sua voz é maravilhosa. Uma voz incomum, que não consigo descrever. Não há mulher que se pareça com a Virgem, nem na voz, nem em nada. Às vezes traz o Menino Jesus, bem bebezinho ainda, como um recém-nascido. Tem o rostinho redondo, da mesma cor que o da Mãe, uma boquinha pequena, cabelinho louro um tanto comprido e uma roupa em forma de túnica azul. A Virgem parece ter 18 anos".


OS FENÓMENOS OCORRIDOS EM GARABANDAL



As jovens sabiam quando as visões iriam acontecer, por uma série de três chamadas (luminações) cada uma mais forte do que a outra. Após a terceira chamada, elas corriam para o lugar recluso, onde se deram as primeiras visões: ali prostrando-se de joelhos nas rochas ásperas pontiagudas, entravam em transe extático sobrenatural. As suas cabeças derreavam para trás, as pupilas dos olhos dilatavam-se, as suas faces perladas de suor com impressionante expressão angélica. Mantinham-se, assim nesta posição durante algumas horas, sem entretanto demonstrarem sinais de esforço muscular e de fadiga. Assim ficavam insensíveis a picadelas de alfinetes, queimaduras com fósforos e contactos físicos. Mesmo quando, de noite, durante as visões, holofotes ofuscantes eram centrados sobre as faces das jovens, as suas pupilas permaneciam imóveis e dilatadas. Durante tais transes o peso das jovenzinhas ficava tão excessivo que dois homens adultos tinham dificuldade em levantar uma jovem de 12 anos. No entanto elas  levantavam-se, umas as outras, com a maior facilidade, para oferecerem um beijo a SSma. Virgem. 


Quedas extácticas

Conforme as aparições iam continuando, um novo fenómeno começou a ocorrer : a Queda Extática. Apenas em êxtase, quer de joelhos ou em pé, as jovens caiam para trás, ficando esticadas no chão. Nunca se magoaram com isto, nem as suas vestes jamais ficaram imodestas, emaranhadas ou inconvenientes. Mantinham-se assim em êxtase, em posição horizontal e sem usarem das mãos para se recomporem, voltando depois à posição original, de joelhos ou de pé. Quando duas ou mais das jovens, em êxtase, caíam juntas, os seus movimentos eram perfeitamente sincronizados. Uma testemunha, Canon Júlio Porro Cardenoso, disse que era idêntico ao lançar de um jacto de luz dentro de um grande salão de conferência onde todas as luzes se apagassem simultaneamente. Quando as meninas jaziam ao chão, após uma queda extática, a posição dos seus corpos ressaltava algo como um sinal sobrenatural, e muitos espectadores descreveram como magnificas "esculturas".













Marchas  extàctcas 
Outra característica excepcional das aparições, sobrevinda quase ao mesmo tempo da queda extática, é a MARCHA EXTÁTICA. De cabeças decaídas para trás, de uma maneira característica e sem verem para onde iriam, as meninas marchavam de braços dados para diante e para trás, sem a menor dificuldade, sobre terreno acidentado e perigoso e algumas vezes com passos tâo rápidos que os espectadores não conseguiam acompanhá-las. Uma testemunha, a Srta. Ascencion de Luís, descreveu num relatório, com data de 18 de março de 1962. um desses "võos": "A partir da aldeia, subindo a rampa rochosa até o pequeno bosque de pinheiros que pendia na direcção da aldeia... A menina subia a rampa e descia novamente para trás numa velocidade incrível". Por vezes as jovens faziam lembrar aviões planando no ar, quando aparentemente sobrevoavam o terreno, de braços estendidos, tocando apenas o chão com as pontas dos pés.







Desde os primeiros dias das aparições, as meninas apresentavam à Virgem objectos religiosos para que Ela os beijasse, Istó foi sugerido por Nossa Senhora, e quando as pessoas disso tomaram conhecimento, numerosos terços, crucifixos, medalhas e alianças eram entregues às pequenas videntes. Tal era o acervo de objectos religiosos depositados sobre uma mesa para tal fim, que seria humanamente impossível para as jovens poderem devolvê-los aos próprios donos, sem equívocos. No entanto, quando em êxtase e guiadas por N. Senhora as meninas devolviam sempre as medalhas, alianças e outros numerosos objectos às pessoas certas. Muitos sacerdotes presenciaram os êxtases das meninas. 







Beijo nos objectos religiosos
 
Quando as testemunhas ouviram dizer que Nossa Senhora queria beijar objectos religiosos, rosários, medalhas, crucifixos e anéis de casamento foram dados às meninas para que fossem dados a beijar a Nossa Senhora. Por muitas vezes, os objectos eram dados às meninas em grandes quantidades e duma forma que seria impossível distingui-los e entregá-los de forma correcta às pessoas a que pertenciam por direito. Ainda em êxtase e guiados por Nossa Senhora, as meninas nunca se enganavam na sua devolução aos respectivos donos.
 

Na última visita de Nossa Senhora, Ela disse a Conchita: “ Através do beijo que eu distribuí nestes objectos, o meu Filho realizará verdadeiros prodígios.” Esta promessa tem sido um facto real e continua a realizar inúmeras curas físicas, bem como conversões espirituais por todo o mundo.







http://www.mensagemdegarabandal.com/a-historia/

ádio Mensageira da Paz, a sua melhor companhia!
http://www.apparitionstv.net/radio.html
«GARABANDAL É COMO UM ARCO-IRIS» relato sobre Garabandal NA RADIO MENSAGEIRA DA PAZ
ARCO IRIS QUE VIMOS APARTIR DO ALTO DOS PINHEIROS SOBRE GARABANDAL NO DIA 5 DE MARÇO DE 2016





A Primeira mensagem


 18 de Outubro de 1961

Todos os aspectos fenomenais das aparições não tiveram o seu final aqui. Eram um processo que Nossa Senhora usava para atrair a nossa atenção e poder transmitir-nos um comunicado urgente. No dia 4 de Julho de 1961, N. Senhora deu uma mensagem às meninas e pediu-lhes que a tornassem pública no dia 18 de Outubro de 1961. Sendo a população em geral avisada com bastante antecedência, mais de 3.000 pessoas acorreram à aldeia, sob a inclemência de um dia encharcado de chuva ( na minha opinião para que as pessoas compreendessem depois o significado da mensagem, nomeadamente, sobre o significado do sacrifício), para ouvirem o seguinte: 

  “ Temos de fazer muitos sacrifícios, muita penitência, visitar o Santíssimo Sacramento com frequência ,mas antes temos de ser muito bons e se não o fizermos, virá sobre nós um castigo . A taça está a encher-se e se não mudarmos virá sobre nós um castigo muito grande.”  

Foi desejo da Santíssima Virgem que esta mensagem se tornasse conhecida universalmente.



MENSAGENS PROFÉTICAS PARA A HUMANIDADE 

 

1º- O futuro aviso para a humanidade

 

Quanto ao Aviso, as referências iniciais datam de 1º de janeiro de 1965. Neste dia, Conchita encontrava-se sozinha nos pinheiros, quando a Virgem comunicou-lhe que daria uma última mensagem ao mundo, a qual iria encerrar o ciclo de Garabandal. A seguir, transmitiu uma mensagem particular, que ela prontamente comunicou ao padre Laffineur. Diz o seguinte:

"O Aviso que a Virgem vai nos enviar é à maneira de castigo, para aproximar os bons mais de Deus e para advertir os demais. Em que consiste o Aviso, não posso revelar. A Virgem pediu-me para manter em segredo. Queira Deus que, graças a esse Aviso, nos emendemos e cometamos menos pecados contra ele."

"Causará mortes?" - perguntou-lhe por escrito Laffineur.

"Se morremos" - foi a resposta , "não será pelo facto do Aviso em si, mas pela emoção que teremos ao vê-lo e senti-lo".

"Palavras simples, precisas e muito claras" - comenta Laffineur ." Deviam bastar, como deveriam ter bastado as da Irmã Lúcia, de Fátima, quando, em 1938, escrevia ao seu bispo: "Creio que aquilo a que chamam de aurora boreal é justamente o sinal que a Virgem me deu de que os acontecimentos profetizados estão próximos". Tais acontecimentos fizeram mais de 26 milhões de mortos".

Sobre a natureza do Aviso, temos ainda esta explicação de Conchita à tia Maximina, que ela depois consignou por escrito: "Disse-me que um dia iríamos sofrer um desastre horrível. Em todas as partes do mundo. Ninguém escapará. Os bons, para se aproximarem mais de Deus; os outros, para se emendarem. Seria preferível morrer a suportar, por cinco minutos que fosse, o que nos espera."

"Já a sua realização será um novo motivo de credibilidade, anunciá-lo e reafirmá-lo a todos é a solicitude mais fraterna que podemos ter para com o mundo", aconselha o padre Laffineur.

"Se eu não conhecesse o Castigo que está por vir "- continua Conchita, explicando à jovem Angelita -, "diria que não há castigo maior do que o Aviso. Mas ele durará bem pouco tempo".

"Será horrível em grau máximo" - explica ainda. "Ah, se eu pudesse contá-lo a todos vós como a Virgem me contou a mim! Ele é um fruto dos nossos pecados. Pode produzir-se de um momento para outro; eu espero-o todos os dias. Se soubessem o que é, ficariam horrorizados!".

"Por que não o torna público, para que o saibam todos os que vêm aqui?" - pergunta-lhe alguém.

"Estou cansada de dizer, ninguém faz caso."

Dias mais tarde, voltam ao assunto:

"Conchita, desde que me fez estas confidências, penso muitas vezes no céu."

"Eu também" - responde a vidente. "De modo especial quando vou para a cama. Tenho muito medo de que aconteça durante a noite. Não nos damos conta da medida com que ofendemos ao Senhor. A Virgem disse-me que todos sabem da existência do inferno e do céu. Mas pensam nisto apenas por medo e não por amor a Deus. Por culpa dos nossos pecados, seremos nós mesmos a causa da natureza do Aviso."

Outros esclarecimentos encontramos nas respostas a um questionário de 14 de Setembro de 1965:

"O Aviso é uma coisa que vem directamente de Deus. Será visível no mundo inteiro, qualquer que seja o lugar onde alguém se encontre. Será como que a revelação (interior a cada um) dos nossos pecados. Vê-lo-ão e sentirão tanto os crentes quanto os não crentes de todos os países". E mais: "É como uma purificação para o Milagre. É como uma catástrofe. Fará com que pensemos nos mortos, ou seja, que prefiramos estar mortos a sofrer o Aviso".

Quando aos efeitos sobre o íntimo de cada um, Conchita explica: "O Aviso será uma correção de consciência do mundo... O Senhor o enviará para nos purificar, a fim de podermos apreciar melhor o Milagre, pelo qual prova-nos claramente o seu amor".

Uma senhora, depois de ouvir as explicações de Conchita  observou:

"Sabe-se que está a aproximar-se da Terra um cometa. Não será isto o Aviso? "

"Não sei o que é um cometa. Mas se é alguma coisa que depende da vontade dos homens, não. Se, porém, depende de Deus, é possível."

"Saímos em direcção à igreja" - prossegue aquela senhora - e Conchita  pegou-me pelo braço." Eu disse-lhe:"

"Conchita, reze por mim, tenho medo, muito medo. "

"Sim, o Aviso é terrível! Mil vezes pior que terramotos".

A senhora empalidece.

"Qual é a natureza do Aviso?" - pergunta.

"Será como fogo. Não queimará a nossa carne, mas o sentiremos no corpo e no espírito. Todas as nações e todas as pessoas o sentirão da mesma forma. Ninguém escapará. E mesmo os não crentes conhecerão o temor de Deus. Mesmo que te metas em casa e feches a porta e os postigos, não escaparás; sentirás e verás, apesar de tudo. Sim, é verdade que a Virgem  disse-me o nome do fenómeno. Este nome existe no dicionário. Começa com A. Mas pediu-me para não revelar. "

Conchita, estou com tanto medo!

Sorrindo, ela pegou a amiga pelo braço:

"Sim, mas depois do Aviso, você amará muito mais a Deus."

Um aspecto complementar das declarações de Conchita  é nos fornecido por Jacinta, em Fevereiro de 1976: "O Aviso será de muito curta duração, alguns minutos; mas esse pouco tempo tornará-se-á tremendamente longo, pela dor que nos causará... Virá sobre nós como um fogo do céu, que repercutirá profundamente no interior de cada um. À sua luz veremos com toda a clareza o estado da nossa consciência, veremos o que significa perder a Deus, sentiremos a acção purificante de uma chama abrasadora. Em resumo, será como passar pelo juízo particular ainda em vida, na intimidade de cada um".

 


Esta purificação tem por fim deixar-nos em forma para o Milagre; de outra maneira, como poderíamos resistir à sobre-humana e maravilhosa experiência que haveremos de ter no Milagre? Talvez fosse por não ter passado previamente pelo Aviso que ocorreu a morte do padre Luís Andreu, horas depois de ter contemplado aquilo que nem as meninas ainda viram.


2º - O futuro milagre


Todos estes pequenos prodígios, assim como os sugeridos daí por diante, vistos apenas por um número restrito de testemunhas, não são mais do que sinais anunciadores do Grande Milagre, que será visto por milhões de pessoas. "A Virgem anunciou-me um grande milagre - confia Conchita ao seu Diário -, que Deus via fazer por intercessão dela. Como o Castigo será muito grande, também o Milagre será muito grande, tal como o mundo necessita".

Nestas breves referências encontramos a "promessa de um fenómeno visível e sobrenatural, de que o mundo precisa tal como de pão para a boca. O mundo precisa de ser abalado nos seus fundamentos racionalistas e positivistas, no seu orgulho tecnológico imbatível. O Milagre responde a essas necessidades e parece apontado à reconversão dos homens, à reconsideração do seu nada diante dos prodígios de Deus", observa o autor de Garabandal, continuação de Fátima.

"O Milagre de Garabandal - explica a vidente a uma família francesa - será muito maior, muito mais empolgante que o de Fátima. As pessoas que o presenciarem ficarão tão desconcertadas, que nenhuma sairá com dúvida. Seria necessário que o mundo inteiro estivesse presente ao Milagre, porque então não haveria seguramente o Castigo, já que todos creriam".

Em conversa com Sánchez-Ventura, levanta a ponta do véu que encobre a natureza do Milagre: "Aparecerá no céu um sinal, tão característico e espectacular, que ninguém poderá negar a realidade do prodígio".

 

"Durará uns onze minutos e acontecerá às 8 e meia da noite, hora em que o anjo apareceu pela primeira vez. Dele ficará uma marca, um sinal visível permanente nos pinheiros, que provará não ter sido feito por mãos humanas. Estará à disposição de todos os "Tomés" que ainda precisam ver para crer. "Será semelhante a uma coluna feita de uma substância desconhecida, visível mas não palpável. Poderá ser fotografado, filmado, televisionado. Ver-se-á que não é coisa deste mundo. Poderá presenciá-lo todos os que estiverem no povoado e arredores. Os doentes que encontrarem na vila serão curados. Terá lugar numa Quinta-feira, coincidindo com a festa de um jovem mártir da Eucaristia."
Trata-se, como se vê, de um fenómeno de dimensões planetárias, "o maior milagre já realizado por Cristo em favor da humanidade". Nem no Antigo nem no Novo Testamento encontramos prodígios de uma tal magnitude, nem no tempo, nem no espaço. Será um daqueles sinais anunciados pelo profeta Joel para os tempos finais: "Realizarei prodígios no céu e na terra, sangue, fogo e colunas de fumaça" (Joel 3,3-4) e confirmado por Pedro diante do Cenáculo (At2,14-21).

Conchita  conhece exactamente a data e a comunicou ao papa Paulo VI, ao confessor dele e ao cardeal Ottaviani, então prefeito do Santo ofício, hoje Congregação para a Doutrina da Fé, e a mais duas pessoas, cujos nomes não revelou.

O Milagre ocorrerá menos de um ano depois do Aviso. Oito dias antes, Conchita começara a divulgar a data


PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUTURO MILAGRE



JACINTA - Fevereiro de 1977



Nossa Senhora nunca falou do Milagre a Jacinta. Sempre que ela perguntava a Nossa Senhora sobre o assunto, Ela dizia: “ Todos irão crer.”



MARI-LOLI - Fevereiro de 1977



Pergunta: Quem te falou sobre o Milagre?

Resposta: Foi Nossa Senhora.

Pergunta: Que sabes sobre o Milagre?

Resposta: O que eu sei é que acontecerá no espaço de um ano a seguir ao Aviso.

Pergunta: Irás com a tua família ver o Milagre?

Resposta: Se Deus assim quiser.



CONCHITA GONZÁLEZ - Ano de 1973



Pergunta: O que acontecerá no dia do Milagre?

Resposta: Vou tentar falar daquilo que Nossa Senhora me disse sobre ele. Nossa Senhora disse-me que Deus ia fazer um grande milagre e que não haveria nenhuma dúvida que fora um Milagre. Virá directamente de Deus, sem qualquer intervenção humana. O dia, o mês e o ano desse acontecimento, foi-me dado a conhecer. Por isso eu sei a data da sua realização.

Pergunta: Quando será esse dia?

Resposta: Não me foi permitido dizer exactamente sobre o que vai acontecer. O que eu posso revelar é que todos aqueles que estiverem em Garabandal verão o Milagre. Também disse que todos aqueles que estiverem lá para presenciarem o Milagre

serão curados, independentemente da sua religião que professam. Têm é que estar ali em Garabandal.

Pergunta: Disseste um dia que as pessoas que presenciarem o Milagre, converter-se-ão?

Resposta: Nossa Senhora disse-me que todas as pessoas ali presentes acreditarão. Verão que virá directamente de Deus. Todos os pecadores que estiverem presentes, se converterão. Também disse que se poderia tirar fotografias do Milagre, bem como filmá-lo. Além disso ficará lá nos “ pinos”um sinal permanente em que todos poderão ver e tocar, mas não sentir. Não te sei explicar.

Pergunta: No dia do Milagre, haverá algum sinal visível sem intervenção humana?

Resposta: Sim, ficará lá até à consumação total dos séculos.

Pergunta: Tu disseste que o sinal poderá ser televisionado, fotografado, mas não o poderemos sentir ao tacto?

Resposta: Será como o fumo, podes tocá-lo sem o sentir.

Pergunta: Em relação aos doentes, Nossa Senhora falou de alguém em particular, de um cego chamado Joey Lomangino? O que disse sobre ele?

Resposta: Disse que recuperaria a vista no dia do grande Milagre. Também falou de um menino paralítico, cujos pais são da minha aldeia de Garabandal. Esse menino também ficará curado. Estas são as únicas pessoas de quem falou.

Pergunta: Podes dizer-nos algo sobre o Padre Luís Andreu?

Resposta: Sim, esse sacerdote veio com alguma frequência à aldeia para se ver as aparições eram verdadeiras ou não. Ao fim de algum tempo, ele passou a acreditar nelas. Numa determina ocasião em que estávamos em êxtase nos “ pinos “, o padre Luís começou a gritar: “ Milagre, Milagre, Milagre “. Quando isto aconteceu, Nossa Senhora disse-nos que o Padre Luís estava vê-la naquele momento e também a ver o grande Milagre que ocorrerá no futuro.

Pergunta: O padre Luís estava mesmo a ver o Milagre?

Resposta: Sim. Nesse mesmo dia, de regresso a casa, o Padre disse aos seus amigos: “ Este é o dia mais feliz da minha vida! Que grande Mãe nós temos no céu! As aparições são verdadeiras”. E ao pronunciar estas palavras, o padre Luís morreu.

Pergunta: Nossa Senhor, não disse que no dia do Milagre iria acontecer algo a respeito do Padre Luís?

Resposta: Sim, disse que no dia do milagre descobrir-se-á que o seu corpo estará incorrupto.



7 de Fevereiro de 1974



Pergunta: Falaste que o dia do Milagre coincidirá com um grande acontecimento da Igreja? Nossa Senhora disse-te em que consistia e podes acrescentar algo a tudo aquilo já que falastes sobre isso?

Resposta: Sim, eu sei em que consiste esse acontecimento. É um acontecimento singular da Igreja que aconteceu em algumas ocasiões e que nunca sucedeu durante a minha vida presente. Não é nada de novo, nem extraordinário, no entanto é algo raro, por exemplo, como a definição de um dogma, algo que afectará toda a Igreja. Ocorrerá no mesmo dia do Milagre, mas não será consequência desse sinal, será apenas mera coincidência.





Pergunta: Como anunciarás o Milagre?

Resposta: Não o sei exactamente. Mais concretamente, à meia-noite avisarei o Joey, a rádio, a televisão, e todos aqueles que crêem e que possam ajudar a propagar a notícia rapidamente. Não estou preocupada com isso. Se Nossa Senhora quiser que essa pessoa esteja lá, essa pessoa estará lá.

Pergunta: Joey disse que iria para Garabandal logo a seguir ao Aviso. Sabes quanto tempo decorrerá entre o Aviso e o Milagre?

Resposta: É uma boa ideia que Joey vá para Garabandal, no entanto não sei quanto tempo decorrerá entre o Aviso e o Milagre.

Pergunta: Pensas com frequência no dia do Milagre, e esperas com impaciência o Aviso e o Milagre?

Resposta: Às vezes parece-me que está muito longe e às vezes que está eminente. Parece-me muito próximo quando vejo que as pessoas não cumprem com a mensagem, porque depois do Milagre poderá haver um castigo. Eu espero com impaciência, sim. Nossa Senhora nunca mente. Para que as palavras de Nossa Senhora sejam cumpridas, terá que acontecer o Aviso e o Milagre. Tudo isso constitui uma única mensagem.

Pergunta: Durante as duas ocasiões em que Nossa Senhora falou sobre o Joey, ele disse-te algo mais para além da profecia dos seus olhos?

Resposta: Em relação ao Joey, tudo aquilo que me recordo agora foi que no dia do Milagre Joey terá novos olhos, e que a partir daí verá permanentemente.



Fevereiro de 1977



Pergunta: Vistes o milagre ou falaram-te sobre ele?

Resposta: Nossa Senhora falou-me sobre o Milagre, deu-me a entender em que consistia concretamente.

Pergunta: Estavas sozinha ou com as tuas amigas quando Nossa Senhora falou-te do Milagre?

Resposta: Não me recordo. (Nota: Segundo as notas do Padre Valentim Marichalar, sacerdote de Garabandal nessa época, Conchita estava sozinha quando recebeu esta mensagem).

Pergunta: Como será o Milagre?

Resposta: Mesmo que tentasse explicá-lo, não conseguia fazê-lo bem. O melhor é esperar e ver.

Pergunta: Queres repetir a informação referente aos meses em que podemos esperar o Milagre?

Resposta: De Março a Maio.

Pergunta: Alguns dizem que o modo como anunciarás o Milagre, será em si um grande milagre, podes explicá-lo?

Resposta: Creio que o modo como se anunciará o Milagre será um Milagre, porque é uma enorme responsabilidade para mim e nessa altura vai-me fazer falta um Milagre para o conseguir dizer.

Pergunta: Se me encontrar longe da povoação de Garabandal, nas montanhas, e vir na mesma os “ pinos”, poderei ver o Milagre? E os doentes que estiverem aí, também ficarão curados?

Resposta: Poderás presenciar o Milagre claramente, e se Deus quiser essas pessoas ficarão também curadas.

Pergunta: Tem-se dito que em outros sítios, nomeadamente santuários Marianos, as pessoas que se deslocarem a eles nessa altura, poderão ficar curados no dia do Milagre. Que sabes a esse respeito?

Resposta: Nossa Senhora não nos disse nada sobre esse assunto.

Pergunta: Os que crêem firmemente no Milagre, mas que não possam estar presentes no dia do Milagre devido às suas circunstâncias, por exemplo, os sacerdotes e religiosos de clausura, receberão alguma graça nesse dia?

Resposta: Pessoalmente não sei. Depende das pessoas, dos seus desejos, da sua fé, do seu sacrifício, da sua obediência.

Pergunta: Nossa Senhora disse alguma coisa em relação à enorme multidão que pensa estar em Garabandal alguns dias antes do dia do Milagre? A alguns preocupam algumas questões tais como provisões de alimentos, aspectos sanitários, etc. Tens algum comentário a fazer a esse respeito?

Resposta: Que deixem tudo nas mãos de Deus. Que façam o que puderem e que se lembrem que “Deus faz milagres.”





Mais informação disponibilizada por Conchita em relação ao futuro Milagre





. Ocorrerá nos “ pinos” em Garabandal

. Numa quinta-feira

. Às 20:30 h

. Entre os dias 8 e 16 de Março, Abril ou Maio

. Coincidirá com um grande evento da Igreja

. Coincidirá com a festa de um Mártir da Eucaristia

. Durará uns 15 minutos

. O Papa verá o Milagre no lugar onde estiver, tal como o Padre Pio*.

*O padre Bernardino Cennamo disse a Conchita, em Outubro de 1968, em Lurdes, que o Padre Pio viu o Milagre antes de morrer a 23 de Setembro de 1968. Disse que o Padre Pio o disse pessoalmente.

CONCHITA FICOU ENCARREGUE DE ANUNCIAR O DIA DO MILAGRE 8 DIAS ANTES DA SUA DATA.

As características deste futuro milagre são as seguintes:


o A vidente Conchita González anunciará ao mundo a realização do grande Milagre, oito dias antes;

o Passarão menos de doze meses entre o Aviso e o Milagre;

o Terá a duração entre 10 minutos e um quarto de hora;

o Acontecerá numa quinta-feira, às 20:30 h, hora local;

o Ocorrerá entre o dia 6 e 16 dos meses de Março, Abril ou Maio;

o Esse dia não será festa de Nossa Senhora;

o Coincidirá também com um acontecimento muito importante, raro, singular, tanto para a Igreja como para toda a cristandade, um acontecimento feliz e venturoso;

o Será o maior Milagre que Jesus Cristo fez no mundo depois da Sua Ressurreição;

o O Milagre será visível na aldeia de Garabandal e nas montanhas dos arredores. Poderá ser fotografado, filmado, e provavelmente televisionado;

o Depois do milagre, ficará nos “pinos” um sinal milagroso que não se poderá tocar, mas que poderá ser filmado, fotografado e televisionado;

o Os doentes presentes ficarão curados e os incrédulos acreditarão;

o Não será necessário que as “ meninas” estejam presentes em Garabandal para que o Milagre se realize;

o O Papa verá o Milagre “ onde quer que ele se encontre”;

o No dia a seguir ao Milagre, o corpo do defunto Padre Luís Andreu será desenterrado e o seu corpo será encontrado incorrupto.

Com o objectivo de aprofundar melhor a natureza deste futuro acontecimento, vamos analisar com detalhe alguns desses pormenores.

O anúncio relativo ao corpo do Padre Luís Andreu


A família Andreu era composta por seis irmãos, quatro dos quais eram Jesuítas: Alejandro, missionário na Venezuela; Ramón, falecido em 2005; Luís, que morreu a 9 de Agosto de 1961 após a sua visita a Garabandal; e Marcelino, missionário na Formosa. A senhora Andreu, mãe dos sacerdotes, tomou o hábito de Salesa a 19 de Março de 1962 e realizou a sua profissão solene a 19 de Março de 1965, estando presentes nesse dia especial os seus filhos por petição do Papa Paulo VI.


A morte do Padre Luís Maria Andreu é um dos pontos de referência mais importantes da história de Garabandal. O Padre Luís , era professor de teologia na faculdade que a companhia de Jesus tinha na Província de Burgos. Quando o padre morreu, tinha 36 anos de idade. O padre Luís tinha subido a Garabandal pela primeira vez junto com o seu irmão Ramón nos últimos dias de Julho de 1961 e voltou de novo a 8 de Agosto desse mesmo ano. Nesse dia, o sacerdote de Garabandal, Padre Valentim Marichalar (ver na foto acima), entregou-lhe pessoalmente as chaves da Igreja, devido à sua ausência nesse dia na aldeia.


Foi por isso que nesse dia, o Padre Luís rezou aquela que viria a ser a sua última missa. No final da missa, as quatro meninas videntes entraram em “ êxtase” dentro da Igreja. Logo a seguir, elas saíram da Igreja em “ êxtase “ e o Padre Luís seguiu-as do princípio ao fim. As meninas subiram até ao local dos “ pinos” sempre em êxtase, caminhando sempre a uma grande velocidade. Ao chegarem aos “ pinos”, elas ajoelharam-se e cantaram o hino a São Miguel Arcanjo. Foi nesse momento que o Padre Luís apareceu profundamente emocionado e por quatro vezes repetiu a palavra “ MILAGRE, MILAGRE!”.

O que foi que aconteceu para que o Padre Luís pronunciasse aquelas palavras de MILAGRE, MILAGRE…? Segundo as meninas videntes, o Padre Andreu viu o futuro grande Milagre anunciado por Nossa Senhora, bem como a própria Nossa Senhora. Por ele, não sabemos, pois ao regressar nessa noite de carro para sua casa, depois de dizer aos seus amigos e pessoas próximas que tinha sido o dia mais feliz da sua vida e de ter assegurado que estava bastante contente pelo facto de Nossa Senhora lhe ter dado um grande presente, o padre Luís morreu repentinamente no automóvel sem fazer o menor movimento, apresentando uma doce expressão visível no seu rosto.

Mais precisamente, o Padre Andreu saiu de Garabandal já era noite, e deslocou-se para a aldeia mais próxima, o Cosío. Era 1:00 da madrugada quando perto da vila de Reinosa, o Padre Luís disse o seguinte:

“ Que lindo presente me deu a Virgem! Que sorte ter uma mãe assim no céu. Não devemos ter medo da vida sobrenatural. As meninas deram-nos um exemplo sobre a maneira como devemos tratar Nossa Senhora. A mim não me resta nenhuma dúvida que tudo aquilo que as meninas diziam era verdade. Porque é que Nossa Senhora nos escolheu? Hoje é o dia mais feliz da minha vida.”

Ao acabar de dizer isto, o Padre Luís Andreu ficou muito calado dentro do automóvel onde seguia. No momento a seguir já estava morto. Numa clínica perto do local onde o Padre Luís tinha falecido, não se fez mais do que constatar e confirmar o seu falecimento; por outro lado, o Padre Luís não sofria de nenhuma doença, morrendo sem qualquer agonia e sofrimento.



No entanto, a história do Padre Luís Andreu não terminou aqui. Tal como Conchita confirmou no seu diário1, as meninas videntes confirmaram terem falado com ele num dos seus êxtases, depois da sua morte. Segundo as videntes, elas viam uma luz própria das visões, e como que saindo da luz, ouvia-se a voz do Padre Luís. As meninas diziam o seguinte: “Nós ouvíamos a sua voz, mas não o víamos. Ficou durante um tempo a falar connosco dando-nos conselhos. Falou-nos de algumas coisas a respeito do seu irmão Ramón Maria Andreu e ensinou-nos a rezar o Avé Maria em Grego.”

Numa dada ocasião, o seu irmão Ramón, tomou conhecimento sobre esta situação e ficou desiludido, pensando que se tratava de um estado de doença que as meninas possuíam, de extra sensibilidade devido à morte do seu irmão. A sua ideia era que devido a isso, as meninas imaginavam que falavam com o seu irmão já falecido. Mas num determinado dia, para grande surpresa do Padre Ramón, ele próprio pôde escutar o diálogo das meninas em estado de êxtase. Em relação a isto, disse o Padre Ramón:


“ Fui ver as meninas em êxtase e escutei as suas conversações com o Padre Luís. Ao fim de um certo tempo, eu não sabia o que pensar. Estava verdadeiramente estupefacto: as meninas repetiam diante de mim as palavras da sua visão, e ouvia-as a narrar a morte do meu irmão e sobre todos os pormenores do seu funeral…..noutra ocasião, ouvi as meninas em êxtase a dizer que o meu irmão tinha falecido sem ter realizado a sua profissão de votos, e isso era verdade. Falaram também de mim e dos meus votos. Conheciam a data precisa dos mesmos, o nome do Jesuíta que tinha feito no mesmo tempo que eu. Compreendam o meu assombro, a minha estupefacção diante destes detalhes rigorosamente exactos, quando eu sabia, sem dúvida, que as meninas não podiam ter conhecimento delas, ao menos, pelo campo humano….também ouvi uma delas recitar a Avé Maria em Grego.”

1 Este diário de Conchita encontra-se disponível online na nossa página da internet.



Ora bem, Conchita González explicou no seu diário, que num certo dia o Padre Luís repetiu por quatro ocasiões a palavra “ MILAGRE, MILAGRE”. Ela e as outras meninas videntes, para além de verem na sua visão Nossa Senhora, também viram o Padre Luís Andreu e que a Virgem lhes disse que ele (Padre Luís) viu também Nossa Senhora e o futuro Milagre anunciado para Garabandal. Posteriormente, no dia 18 de Julho de 1964, Conchita afirmava no seu diário o seguinte:


“ No dia do Milagre, o corpo do Padre Luís Andreu será retirado incorrupto do seu sepulcro….”

No dia 2 de Agosto, Conchita escreve ao Padre Ramón o seguinte: “ No dia 18 de Julho de 1964, tive uma locução que me disse que no dia a seguir ao Milagre, retirarão o teu irmão do túmulo e encontrarão o seu corpo incorrupto….”

A respeito disto, vale a pena mencionar o seguinte pormenor: o padre Luís foi enterrado em 1961. Quinze anos depois, em princípios de 1976, o Seminário onde se encontrava enterrado o Padre Luís foi transformado num sanatório psiquiátrico, pelo que houve necessidade de exumar todos os corpos presentes naquele cemitério, com excepção do corpo do Padre Luís Andreu, que por ordens do superior daquele seminário não realizaram a sua exumação. Todos os corpos foram transferidos para Loyola. Isto foi confirmado por um dos irmãos do Padre Luís Andreu.

Conchita disse e repetiu que Nossa Senhora tinha-lhe dito, numa locução, que no dia a seguir ao Milagre, o seu corpo ( do Padre Luís) se encontraria intacto e incorrupto. Portanto, o anúncio não se refere ao estado do corpo antes do Milagre, mas sim depois do Milagre, exactamente ao dia seguinte do futuro Milagre.


Que podemos dizer em relação a tudo isto e da relação da história do Padre Luís Andreu com o futuro milagre anunciado por Deus através de Maria Santíssima em Garabandal? Resulta claro que o Padre Luís no dia 8 de Agosto de 1961, pelas 10 da noite, teve a visão daquilo que será o futuro grande Milagre de Garabandal. Portanto, o único ser humano que viu o Milagre, já está morto, e foi um sacerdote. Isto inclina-nos a pensar e a deduzir validamente de que o Milagre terá uma relação muito clara com o sacerdócio. Isto não supõe nada de novo: as aparições de Garabandal, para além de serem eminentemente Eucarísticas, são claramente sacerdotais, e isso pode ser constatado pelos diversos milagres que ocorreram em Garabandal relacionados

com a Eucaristia, bem como de uma predilecção especial pelos sacerdotes que foi sempre mostrada durante toda a época das aparições.

Ora bem, o Padre Luís disse algumas frases muito significativas: “ Que lindo presente deu-me Nossa Senhora! Hoje é o dia mais feliz da minha vida!” A pergunta que fazemos é a seguinte: Qual é o dia mais feliz da vida de um sacerdote? O dia da sua ordenação ou o da sua primeira missa. Sem dúvidas, o futuro milagre proporcionará uma alegria muito mais intensa que o da ordenação ou da primeira missa. Que se pode dizer a respeito disto? Deus não faz as coisas sem sentido, as coincidências têm uma razão divina e cabe a nós tentar entender e descobrir esta maravilhosa lição.

Sem dúvida que o Padre Luís morreu de felicidade, e isso foi comprovado quando a Santíssima Virgem disse precisamente a Conchita que o Padre Luís Andreu morreu de felicidade, pelo que, para que todos aqueles que virem o futuro Milagre em Garabandal não morram de felicidade, Deus vai conceder-lhes uma graça especial.


Em relação à morte do Padre Luís Andreu existe um outro facto espantoso que coincidiu com a sua morte. Que festa a Igreja celebra no dia 8 de Agosto desde 1960 e a 9 de Agosto antes de 1960?

Esse dia coincide com a festividade do Santo Cura de Ars, e não deixa de nos chamar a atenção que essa festa coincide com a visão do Milagre e com a morte do Padre Luís. Em tudo isto, existe um profundo significado. Ao ler os escritos do Santo Cura de Ars – Juan Maria Vianney - encontra-se a seguinte frase:


“ Oh, que coisa tão grande é ser um sacerdote! Não se compreenderá melhor do que no céu. Se nos dissessem: a tal hora vai ressuscitar-se um morto, correríamos com toda a pressa para vê-lo; Mas não é de facto a consagração que transforma o pão e o vinho no corpo e sangue de um Deus, um milagre maior que ressuscitar um morto? Depois da consagração, Deus está ali como no céu. Se o homem conhecesse a verdade deste mistério: morria de amor e felicidade! Só a graça divina em ajuda à nossa debilidade poderia conservar-nos com vida…”



Sem dúvida alguma que o Padre Luís morreu de felicidade. Não conseguiu aguentar com a verdade e felicidade de tudo aquilo que tinha visto; no entanto, o que foi mais contundente foi sem dúvida o acontecimento que o Padre Luís teve nesse dia, naquele instante, e com a graça de Deus, ele provavelmente teve o dom do conhecimento e da compreensão do mistério do sacerdócio e da eucaristia, do mistério da transubstanciação do pão e do vinho no corpo e sangue de Nosso Senhora Jesus Cristo – tal como disse o Cura de Ars – e que permanece oculto na nossa debilidade humana.

Assim, podemos afirmar com alguma certeza que o futuro Milagre de Garabandal terá uma relação íntima com o mistério do sacerdócio e da Eucaristia, que hoje é tão combatido, ignorado, depreciado, estes mistérios serão postos em magnificência por parte de Deus para que possamos compreender o profundo amor que Ele tem por cada um de nós e que Ele teve na última ceia que realizou com os seus apóstolos na quinta-feira santa e que fez com que levasse a oferecer todos os dias no santo sacrifício da Santa Missa, uma vez e cada dia a Seu Eterno Pai em reparação dos nossos pecados e para a salvação de todo o mundo.


Que melhor presente poderíamos ter todos nós, depois do Aviso mundial que haverá de acontecer ao mundo e que deixará os homens sensibilizados sobre quem é Deus e sobre o estado das nossas almas, que este Milagre, fruto da Misericórdia de Deus e que nos fará amar profundamente a Eucaristia, como fortaleza necessária para os dias da grande tribulação que haverá de vir para o mundo e para a Igreja?

Finalmente, porquê o corpo incorrupto do Padre Andreu? Quer Deus confirmar a origem sobrenatural destas aparições, o que seria desnecessário depois de já ter sido confirmado pelo Aviso e pelo futuro Milagre? Ou não será mais do que nos deixar um sinal de esperança, dentro do contexto escatológico destas aparições, através da incorruptibilidade de um corpo previamente decomposto, quer dizer, o anuncio de novos céus e de nova terra, e que será a plenitude do reino de Cristo na Terra na qual “ os mortos serão ressuscitados incorruptíveis e nós seremos transformados?” ( Cor 1,15 52).



Acontecimento importante para a Igreja


O futuro milagre de Garabandal coincidirá com um acontecimento muito importante para a Igreja. Com efeito, Conchita disse isso mesmo, que o futuro Milagre coincidirá com um acontecimento importante para a Igreja. Antes de aprofundar este acontecimento e de fazer suposições a esse respeito, convém deixar claro o seguinte: as aparições de Garabandal desenrolaram-se entre 1961 e 1965, e foram simultâneas à convocatória do Concílio Vaticano II. Nossa Senhora anunciou às meninas a morte do Papa João XXIII e também professou que o seu sucessor continuaria o Concílio e que o levaria até seu término. O Concílio Vaticano II foi, sem qualquer dúvida, um acontecimento capital na história da Igreja do século XXI, a sua coincidência com as aparições de Garabandal não podem ser casuais. No momento preciso da abertura do concílio Vaticano II, Conchita teve um êxtase com Nossa Senhora. A esse respeito, convém deixar claro que o futuro Aviso, tal como já verificamos, produzir-se-á depois de um momento difícil para a Igreja, “ algo como um cisma”. Por outro lado, assim como já vimos que o Aviso será reflexo de um mistério doloroso para a Igreja, o grande Milagre será como um mistério gozoso na vida da Igreja.


Assim, o dia do Milagre coincidirá com um grande acontecimento para a Igreja. É possível saber em que coincidirá esse acontecimento? Já sabemos que é arriscado fazer suposições, vamos no entanto citar algumas reflexões que podem ajudar e iluminar as nossas ideias a esse respeito. Conchita, a uma pergunta que se fez no ano de 1974 sobre o tema, disse o seguinte:

“ É um acontecimento singular na Igreja que ocorre em determinadas ocasiões e que nunca aconteceu dentro da minha vida. Não é algo novo ou extraordinário, apenas é algo raro, como a definição de um dogma, algo que afectará toda a Igreja. Ocorrerá no mesmo dia do Milagre, mas não é consequência deste, apenas pura coincidência.”


Todo este detalhes despertam em nós alguma inquietude. De que natureza será este acontecimento? Qual será a sua importância para merecer coincidir com o dia do futuro Milagre e tal como anunciaram as meninas videntes, será o maior milagre que Jesus Cristo fez na história da humanidade?


De acordo com o diário de Conchita, este acontecimento importante não aconteceu na vida de Conchita, e como ela nasceu no dia 7 de Fevereiro de 1949, podemos já eliminar um certo número de probabilidades de acontecimentos importantes que ocorreram na vida da Igreja e que coincidem com a vida de Conchita:


 Beatificações ou canonizações de almas virtuosas;

 Fundação de novos institutos religiosos;

 Grandes viagens papais;

 Congressos Marianos;

 Anos Santos ( 1950, 1975, 1987/1988, 2003-2004);

 Eleição de um novo Papa ( 1958, 1963, 1978, 2005);

 Um concílio, sínodo;

 Um novo catecismo para a Igreja;

 A definição de um novo dogma mariano (a da Assunção de Maria aos céus de corpo e alma, no dia 1 de Novembro de 1950)

 A instituição de uma nova festa litúrgica (Maria Rainha, 1955)

 Consagrações especiais do mundo ao Sagrado Coração e ao Imaculado Coração de Maria (1984, 2000)


Parece inevitável pensar que este acontecimento importante e feliz, esteja de certa forma relacionado com o Concílio Vaticano II. Nesse contexto surge uma hipótese: a unidade das Igrejas, quer dizer, a reconstrução da Igreja primitiva através da reconciliação entre os católicos e ortodoxos.

Recordemos que a rota da unidade das Igrejas do Oriente e Ocidente desde ano de 1054 (ano da separação das duas Igrejas), que houve tentativas para o seu restabelecimento em cerca de um par de ocasiões, mas sempre sem resultados permanentes. As divergências entre católicos e ortodoxos não parecem assim tão difíceis de resolver, digamos que são mais sentimentais que doutrinais. Existem dois pontos que os fazem separar:


- O primado de Pedro, bispo de Roma sobre os restantes bispos, como sucessor de Pedro;

- Sobre o Espírito Santo, um ponto de teologia dogmática debatido há séculos. Os orientais dizem que o Espírito Santo procede “ do Pai pelo Filho”, ao passo que os ocidentais utilizam a fórmula “ do Pai e do Filho”.


Existem também outros pontos secundários. Também é preciso realçar os pontos de união que existem entre ambas as Igrejas: uma e outra aceitam a Sagrada Escritura e transmitem a Tradição Apostólica, têm verdadeiros sacramentos, especialmente o sacerdócio e a Eucaristia, e honram com grande devoção a Mãe de Deus.


“ Assim, os dois ramos do Oriente e Ocidente permanecem unidos em Cristo pela Eucaristia e pelo Espírito Santo. Substancialmente e teologicamente, os ortodoxos e católicos constituem uma grande família em Maria”, escreveu o bispo francês, Mons. J. Rupp, fazendo eco do teólogo ortodoxo russo do século passado, Vladimir Soloviev:

“ A Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica, subsiste essencialmente tanto no Oriente como no Ocidente e subsistirá eternamente, apesar da hostilidade e do cisma temporal que existe entre estas duas metades do mundo cristão.”



A unidade das Igrejas



Se pensarmos realmente que pode existir esta reconciliação num futuro próximo, resulta claro que precisamente desde o final das aparições de Garabandal, deram-se passos importantes neste sentido. Primeiramente, o beijo da paz entre o Patriarca Ortodoxo Atenágoras e o Papa Paulo VI em Janeiro de 1964, no Monte das Oliveiras. Depois, a 7 de Dezembro de 1965, nas vésperas da solene clausula do Concílio Vaticano II, na qual houve uma anulação das excomunhões mútuas, quando Paulo VI e Atenágoras em S. Jorge, anularam os “ anátemas” sentenciados nove séculos antes. Dois anos mais tarde, o Papa visitou o Patriarca em Constantinopla e por sua vez, este devolvia a visita ao Vaticano meses depois.


Mais à frente no tempo, seguiram-se anos de estudo e preparação por parte da Igreja Ortodoxa que finalizaram com a criação de comissões teológicas para o diálogo com Roma, decisão essa que foi anunciada oficialmente numa cerimónia na Capela Sistina a 14 de Dezembro de 1975, na altura comemoravam-se os dez anos da anulação da excomunhão.

Uma nova etapa foi aberta com o pontificado de João Paulo II, que manifestou por repetidas ocasiões o seu vivo desejo de recuperar a plena comunhão com os 200 milhões de ortodoxos que constituem os patriarcados de Constantinopla, Alexandria, Antioquia, Jerusalém, Moscovo, Servia, Roménia, Bulgária, Geórgia e as igrejas independentes do Chipre, Grécia, Polónia, América e as igrejas autónomas da Finlândia e Japão. O Papa João Paulo II nunca ocultou a sua esperança de que esta comunhão se estabeleça totalmente com o motivo do terceiro milénio cristão. O mesmo se tem verificado com o diálogo com os protestantes, na qual se verificam actualmente alguns resultados tangíveis.

Por último Bento XVI, que está pronto para restabelecer esta tão ansiada união. Convém pois manter a cabeça fria. O caminho da unidade requer todavia tempo e exigirá grandes trabalhos teológicos e abundantes orações e sacrifícios. Terá que se vencer obstáculos milenares, pois ao cisma de 1054 precederam muitos séculos de incompreensão tanto no Oriente como no Ocidente. No entanto, tem-se a percepção que o clima actual é o mais favorável desde há nove séculos. Assim, a reconciliação dos dois grandes blocos da igreja primitiva deixou de ser uma utopia, para que o processo de conversão tenha lugar através da acção invisível do Espírito Santo. Isto será certamente um sucesso inédito para a igreja e o futuro Milagre de Garabandal vai confirmar isso mesmo.


A Mãe de Deus, la Theotókos, como chamam os Gregos, associar-se-á à reconciliação dos seus filhos do oriente e ocidente. Existe algum indício nas aparições de Garabandal para apoiar esta hipótese? A resposta é sim. Vamos ver:


a. Em primeiro lugar podemos mencionar que a 16 de Agosto de 1961, o Padre Luís Andreu, que tinha já falecido há já alguns dias (dia 9 de Agosto de 1961), manifestou-se às meninas videntes numa aparição. Este exímio poliglota, que tinha visto por antecipação o futuro Milagre de Garabandal, ensinou-as a rezar a Avé Maria em Grego. Porque razão Nossa Senhora quis que as meninas aprendessem a rezar em Grego, uma vez que sabemos que o Grego é uma das línguas faladas na liturgia ortodoxa?


b. Em segundo lugar, existe uma curiosa coincidência de datas. Com efeito, a ruptura até hoje definitiva entre católicos e ortodoxos consumou-se precisamente no dia 16 de Julho de 1054. É precisamente eleita esta mesma data pela Mãe de Deus dois séculos mais tarde, a 16 de Julho de 1251 sobre o título de Nossa Senhora do Monte Carmelo, título esse que o céu elegeu precisamente para as aparições de Garabandal, como a insinuar que o grande cisma terminará com o título do Monte Carmelo. Vale a pena recordar que o Monte Carmelo, situado na Palestina, evoca o profeta Elias, muito venerado no Oriente, que haverá de aparecer novamente para admoestar os judeus, condenar os erros diabólicos do Anticristo e preparar a Segunda Vinda de Cristo, tal como está profetizado no nosso Credo. A ordem do Carmo nasceu ali e dali foi transplantada para o Ocidente durante a época das invasões turcas. O retorno de Elias, será o último prazo fixado por Deus “ para aplacar la cólera antes de que estalle” ( Ecle XLVIII, 10).


c. Em terceiro lugar, durante várias ocasiões, as meninas de Garabandal chegaram a dizer que a Santíssima Virgem por repetidas ocasiões falou-lhes sobre a futura união das Igrejas e que tínhamos de rezar e trabalhar muito por esse mesmo propósito.


d. Em quarto lugar, finalmente, não deixa de ser ilustrativo que precisamente nas revelações do Sagrado Coração de Jesus a Vassula Ryden de religião ortodoxa grega, Nosso Senhor tenha-lhe revelado sobre a autenticidade e importância das aparições de Garabandal no mundo. Como se sabe, um dos principais propósitos de Vassúla é precisamente promover a ansiada unidade das igrejas.



Por tudo aquilo que foi dito anteriormente, somos da opinião de que o grande Milagre de Garabandal que ocorrerá num espaço de tempo até doze meses depois do Aviso, coincidirá numa quinta-feira com o acontecimento grandioso da Unidade das Igrejas, particularmente entre a católica e a Ortodoxa.

O Papa verá o Milagre “ Onde quer que ele esteja”.


A Santíssima Virgem faz uma referência precisa que chama muito a nossa atenção, e que evidencia a transcendência do momento histórico que atravessará a Igreja e o Papa entre o Aviso e o Milagre, pois o Papa o verá”…onde quer que ele esteja”, o que convida a pensar que o Papa não estará no Vaticano na hora do Milagre. Daqui resultam duas hipóteses: ou estará a realizar uma viagem pastoral ou estará fora de Roma por circunstâncias que nesse momento impedirá que o Santo Padre possa desenvolver o seu trabalho como Bispo de Roma, mais precisamente, poderá estar associada a uma perseguição contra a Igreja e contra o Papa. Na verdade, como tudo, só Deus sabe. Só Deus com a Sua infinita sabedoria, sabe o porquê da sua ausência no Vaticano.



Festividade de um Santo Mártir da Eucaristia


O grande futuro Milagre de Garabandal será numa quinta-feira, às 08:30 da tarde (hora de Espanha), entre os meses de Fevereiro e Junho (ambos já excluídos), entre o dia 6 e 16 desse mês e coincidirá com a festa de um santo mártir relacionado com a Eucaristia. Durará um quarto de hora. Ao excluirmos os meses de Fevereiro e Junho, ficamos apenas com as hipóteses de Março, Abril e Maio. Há uns anos atrás, durante uma suposta entrevista de uma das videntes, foram descartados outros meses. O mês de Abril ou Maio são as hipóteses mais credíveis.


Pelas características atrás mencionadas e por toda a espiritualidade que encerra as aparições de Garabandal, o grande Milagre profetizado poderá estar ligado à natureza eucarística e sacerdotal, isto porque foi numa quinta-feira que se celebrou a instituição do sacerdócio e da eucaristia na última ceia de Jesus com os seus apóstolos. Foi por essa razão que foi apenas um sacerdote a ter um privilégio de presenciar o futuro grande Milagre, tal como já foi falado anteriormente quando mencionamos o Padre Luís Andreu.


Por outro lado, Nossa Senhora de Garabandal ao falar do futuro Milagre, deixou-nos algumas pistas que nos dão luz sobre quando poderá ocorrer. Entende-se tudo isto como forma para que todos nós estejamos preparados, ao mesmo tempo através da realização desse Milagre que ficará definitivamente demonstrado ao mundo e à Igreja a autenticidade das aparições de Garabandal e das suas mensagens.

Ao falarmos sobre possíveis datas do Milagre, não se pretende atentar contra a Providência divina, mas apenas demonstrar que este acontecimento está próximo, pretende-se também avisar para que estejamos preparados e para que compreendamos desde agora a profundidade e a transcendência dos tempos que estamos a viver. O futuro Milagre, e segundo instruções de Conchita, não poderá coincidir com uma festa da Santíssima Virgem, o que exclui o dia do mártir São Tarcisio, jovem mártir da eucaristia, cuja festa se celebra a 15 de Agosto2, festa da Assunção de Maria. Tendo em conta estes factores, é possível e provável que o Milagre ocorra na festa de:


- São Estanislao, 11 de Abril, dia de festa deste mártir

- São Hermenegildo, a 13 de Abril, dia de festa deste mártir

- São Pancrácio, a 12 de Maio, dia de festa deste mártir


Estas hipóteses de datas, terão que coincidir nos próximos anos numa quinta-feira, tal como foi anunciado por Conchita, relativamente aos detalhes do futuro Milagre. Só Conchita sabe a data exacta, pelo que nunca saberemos com exactidão qual será o ano e o dia em que o Milagre ocorrerá. Sendo assim, só depois do anúncio de Conchita com oito dias de antecedência, saberemos que o Milagre irá realizar-se.

Pelo que sabemos de São Estanislao, cuja data se celebra a 11 de Abril, foi bispo de Cracóvia, a mesma sede de João Paulo II antes de ser eleito Papa. Este grande Santo da Polónia, confessor e mártir, uma espécie de segundo João Baptista, revelou-se contra o adultério do seu escandaloso Rei e por isso perdeu a vida. Diz a história que as relações entre o bispo Eslanislao e o Rei Boleslao II, serenas ao início, foram-se deteorando depois das injustiças e crueldades que eram cometidas pelo Rei contra os seus súbditos; de maneira especial sobressaia a sua vida escandalosa, imoral e adúltera. Devido a isto, o bispo Estanislao decidiu excomungar o próprio Rei. Devido a essa atitude, o Rei Boleslao decidiu assassiná-lo. Na solitária Igreja de São Miguel (nome intrinsecamente ligado a Garabandal!), Estanislao foi assassinado enquanto celebrava a eucaristia a 11 de Abril de 1079. Os duros golpes que foram aplicados no crânio deste venerado mártir, estão preciosamente preservados e conservados num relicário.


O segundo santo é Hermenegildo, cuja festa se celebra a 13 de Abril. Hermenegildo foi filho do Rei Godo de Espanha, Leovigildo, que professava naquela altura a heresia ariana, que negava a Divindade de Jesus Cristo. A herança da coroa foi dividida entre Recaredo e Hermenegildo. A esposa de Hermenegildo chamava-se Ingandes que era uma fervente católica. Tal foi seu exemplo e entrega que motivou a conversão do príncipe, abdicando da herança ariana, e foi recebido na Igreja através da imposição de mãos e da unção do Crisma. Leovigildo, num ataque de fúria retirou-lhe o título de Rei e privou-o das suas posses a que tinha por direito legítimo e prendeu-o na torre de Sevilha. Quando chegou a solenidade da Páscoa,o seu pai, Leovigildo, enviou-lhe um bispo ariano pela noite, oferecendo-o determinados favores se ele tomasse a comunhão das mãos desse prelado. No entanto Hermenegildo negou-se recusando a proposta com muita indignação. O seu pai mais uma vez mais ficou bastante furioso com a sua atitude de fé, que demonstrou ser mais forte que todos os seus esforços pessoais. Depois disto, mandou soldados para que o matassem. Usando um machado, os soldados cortaram-lhe a cabeça. Entrou rei e mártir no reino dos céus no ano de 586. A estátua de São Hermenegildo encontra-se na Catedral de Sevilha. Hermenegildo é considerado patrono dos convertidos.


Finalmente São Pancrácio (ano 304), cuja festa se celebra a 12 de Maio, a quem a tradição nos apresenta como “ menino mártir da Eucaristia” durante a perseguição do Imperador Diocleciano. Tinha apenas 14 anos quando deu a sua vida para testemunhar a sua fé.



Por tudo aquilo que foi dito, há que estar muito atento aos acontecimentos que estão para vir em relação ao Aviso e ao Milagre. No entanto, o mais importante de tudo é alcançarmos a nossa conversão de vida e seguir Jesus Cristo. Ele é o caminho da verdade e da vida. Por isso, Nossa Senhora deixou de forma bem clara sobre a importância que as mensagens têm na nossa vida. Se as cumprirmos, estaremos todos no caminho certo.



O Aviso e o Milagre vão ajudar a sensibilizar a nossa alma e a fortalecer o nosso espírito para o momento da grande tribulação. Um facto é certo, ele acontecerá dentro dos próximos anos. Que Deus nos ajude nestes tempos difíceis que se avizinham.

Traduzido para língua portuguesa pelo apostolado de Garabandal - Ano 2011

CONCHITA GONZALEZ


















MARI LOLI






Vídeo de APARIÇOES DE GARABANDAL







JACINTA







MARI CRUZ









Em espanhol diego monroy
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As aparições de Nossa Senhora em Garabandal - YouTube

Vídeo de APARIÇOES DE GARABANDAL
https://www.youtube.com/watch?v=M_16VNE4Fjw

Vídeo de APARIÇOES DE GARABANDAL


As aparições de Nossa Senhora em Garabandal - YouTuBE


https://www.youtube.com/watch?v=M_16VNE4Fjw






AS APARIÇÕES DE JACAREÍ-24 ANOS DE GRAÇAS ...

www.aparicoesdejacarei.com.br/